Ouça agora na Rádio

N Notícia

fotospublicas.com / Bruno Cantini / Atlético

FOTO: fotospublicas.com / Bruno Cantini / Atlético

Em jogo truncado e com poucas chances, Atlético empata com o Corinthians em Itaquera

Apesar dos dois gols, partida ficou marcada por erros e pouca criatividade

Informações compartilhadas Superesportes

A noite de sábado para quem preteriu baladas e bares para ir à arena, em Itaquera, não foi lá das mais divertidas. Em jogo marcado mais por erros e pelas poucas chances criadas que pelos gols, Atlético e Corinthians empataram por 1 a 1, pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Recheado de desfalques - como os titulares Cássio, Fagner, Pedro Henrque e Jadson, por exemplo -, os donos da casa abriram o placar aos 19' do primeiro tempo. Num dos raros momentos de criatividade da partida, Pedrinho arriscou de longe. A bola bateu no travessão e nas costas do goleiro Victor antes de entrar. Quando menos se esperava, o Atlético conseguiu o empate. De pênalti, aos 36' da etapa inicial, o ex-corintiano Fábio Santos fez valer a temida 'lei do ex' e marcou.

Com o empate, pouca coisa muda para o Atlético. O time mineiro chega aos 35 pontos, segue na sexta colocação e não será alcançado na rodada. Ao menos momentaneamente, o Corinthians está uma posição abaixo do rival, com 30 pontos. Os paulistas podem ser ultrapassados pelo Cruzeiro, que tem a mesma pontuação e enfrentará o Internacional neste domingo, às 19h, no Mineirão.

As equipes voltam a campo nesta quarta-feira, pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro. Às 20h, o Corinthians visita o Ceará, no Castelão. Mais tarde, às 21h45, é a vez de o Atlético receber o líder São Paulo, no Independência.

Como manda o ‘manual’, o Corinthians tentou ficar mais com a bola e abafar a saída de jogo do Atlético no início da partida. Não à toa, os donos da casa tiveram a posse em quase 70% do tempo nos primeiros dez minutos de jogo. O esboço de pressão, entretanto, foi bem contido pelo time visitante, escalado com dois volantes cuja principal característica é a marcação: Adilson e José Welison.

Nos contragolpes, os mais acionados eram Ricardo Oliveira e Chará. As tentativas de avanço pela esquerda eram justificáveis. Afinal, o Corinthians tinha o jovem Mantuan como substituto do lesionado Fagner na lateral direita. O jovem de 21 anos, entretanto, não comprometeu no início do jogo.

Apesar da boa dinâmica e da forte marcação imprimidas no início da partida, os lances de perigo eram escassos. O primeiro chute a gol do Corinthians demorou, mas foi fatal. E saiu dos pés do jogador que mais havia arriscado na partida até o momento. Aos 19’, Pedrinho recebeu na intermediária e chutou colocado, de esquerda. A bola tocou no travessão, nas costas de Victor - que havia pulado para tentar intervir - e entrou: 1 a 0.

O tempo passava, e o Atlético seguia encurralado pela marcação do Corinthians. Tão inofensivo quanto os donos da casa, o time mineiro não conseguia manter a posse de bola e tinha dificuldade na transição defesa-ataque, duas das principais características do time do técnico Thiago Larghi. O comandante buscou soluções: deu mais liberdade de movimentação para Chará e Luan, além de ter liberado os avanços de José Welison.

Pouco mudou. Mas, quando menos se esperava, o Atlético conseguiu o gol. Após cobrança de falta, a bola desviou no braço de Gabriel. Pênalti. Com categoria, o ex-corintiano Fábio Santos bateu no canto direito do goleiro Walter. Empate por 1 a 1 mantido até o fim do primeiro tempo.

Monotonia e poucas chances na segunda etapa

Mais acostumado ao rápido gramado da arena - ponto de preocupação da comissão técnica durante os treinos da semana na Cidade do Galo -, o Atlético conseguiu travar um início de segundo tempo mais equilibrado. O jogo, entretanto, seguiu com poucas oportunidades claras de gol.

O primeiro lance perigoso do Atlético na segunda etapa foi aos 17’. De carrinho, Chará recuperou a posse na intermediária e encontrou José Welison. O volante finalizou rasteiro, para fora. Apenas dois minutos depois, Romero deu o troco e arriscou de longe. A bola subiu demais.

As chances, então, começaram a aparecer. Aos 23’, Fábio Santos recebeu de Chará e cruzou para Ricardo Oliveira. O centroavante desviou de cabeça e a bola bateu na trave antes de sair.

Os técnicos, então, resolveram mexer nas equipes. Aos 24’, Larghi colocou Tomás Andrade e Matheus Galdezani nas vagas de Chará e Adilson; um minuto depois, Osmar Loss respondeu com as entradas de Mateus Vital e Danilo nos lugares de Romero e Roger. Pouca coisa mudou.

Assim como foi durante toda a primeira etapa, o jogo seguiu marcado por erros de passe, lançamentos e dificuldade de criação. Com isso, as marcações sobressaíram. As chances, portanto, se mantiveram escassas. No fim, empate por 1 a 1 mantido.

CORINTHIANS 1 X 1 ATLÉTICO

CORINTHIANS
Walter; Mantuan, Marllon, Léo Santos e Danilo Avelar; Ralf, Gabriel e Ángelo Araos (Rodrigo Figueiredo, aos 36’ do 2ºT); Pedrinho, Romero (Mateus Vital, aos 25’ do 2ºT) e Roger (Danilo, aos 25’ do 2ºT).
Técnico: Osmar Loss

ATLÉTICO
Victor; Emerson, Leonardo Silva, Iago Maidana e Fábio Santos; Adilson (Mateus Galdezani, aos 24’ do 2ºT) e José Welison; Luan (David Terans, aos 47' do 2ºT), Cazares e Yimmi Chará (Tomás Andrade, aos 24’ do 2ºT); Ricardo Oliveira
Técnico: Thiago Larghi

Gols: Pedrinho, aos 19’ do 1ºT (COR); Fábio Santos, aos 36’ do 2ºT (ATL)
Cartões amarelos: Araos, aos 13’ do 2ºT (COR); Leonardo Silva, aos 5’, Adilson, e Tomás Andrade, aos 29’ aos 18’, do 2ºT (ATL)

Público pagante: 29.371 torcedores
Público total: 29.609 torcedores

Motivo: 22ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Arena Corinthians, em São Paulo
Data e horário: sábado, 1º de setembro de 2018, às 21h

Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (FIFA/RJ)
Assistentes: Rodrigo Figueiredo Henrique Corrêa (FIFA/RJ) e Carlos Henrique Alves de Lima Filho (CBF/RJ)

FONTE: João Vitor Marques /Superesportes
Link Notícia

Leia também